www.astronomiaamadora.net
Home | História | O Sistema Solar | O Universo | Astronáutica | Biografias | Download | Telescópio Hubble
  Ofertas Shopping UOL Binóculo no Shopping UOL Oculares no Shopping UOL Lunetas no Shopping UOL Telescópios no Shopping UOL  
 

top left top right
 

HISTÓRIA

Astronomia na Idade Média

Almagesto, de Cláudio Ptolomeu.

A tradução, os comentários e os dados que se foram anexando ao Almagesto formaram as fontes essenciais para o primeiro livro-texto de astronomia do Ocidente, o Tractatus de Sphaera (Tratado da Esfera), de Johannes de Sacrobosco, nome latinizado de John Holywood (1200-1256), astrônomo inglês que ensinou na Universidade de Paris até a sua morte. Sua obra foi várias vezes reeditada, ampliada e comentada, tornando-se o principal texto de instrução acadêmica até o tempo de Galileu.

De súbito, novo espírito científico e novas idéias apareceram no século XV, primeiro na Itália e, posteriormente, mais ao norte. Só recentemente começaram a ser apreciadas as penetrantes meditações do cardeal Nicolau Cusano (1401-1464), matemático e astrônomo de descendência alemã.

Em 1492, Colombo descobriu a América e, poucos anos mais tarde, o astrônomo e economista polonês Nicolau Copérnico (1473-1543) apresentou o sistema heliocêntrico. A base intelectual desse novo pensamento veio, em parte, do fato de terem sido aproveitados, no Oeste, pelas escolas bizantinas, muitos trabalhos da antiguidade, após o saque de Constantinopla pelos turcos otomanos, em 1453. Decerto, informações muito fragmentadas fornecidas pelos antigos sobre o sistema heliocêntrico tiveram grande influência sobre Copérnico. Assim, em 1510, Copérnico enviou para alguns astrônomos de renome um pequeno tratado que é um resumo das idéias contidas na sua obra-prima De revolutionibus orbium coelestiurn (Sobre as revoluções dos corpos celestes), publicada pela primeira vez em Nuremberg, em 1543.Durante toda a vida, Copérnico manteve a idéia da perfeição do movimento circular, sem supor a existência de outra forma de movimento.

"O Astrônomo", de VermeerSeguindo as tradições das escolas pitagóricas e platônicas, Kepler foi o primeiro a obter ótimos resultados, tratando de modo mais amplo o aspecto fisico-matemático da teoria do movimento planetário. Partindo das observações do astrônomo dinamarquês Tycho-Brahe (1546-1601), cuja precisão ultrapassou todas as anteriores, o astrônomo alemão Johannes Kepler (1571-1630) descobriu as leis que regem os movimentos dos planetas.

Pela mesma época, o astrônomo italiano Galileu Galilei (1564-1642) utilizou seu telescópio, construído em 1609; dirigindo-o para o céu, descobriu, em rápida sucessão, os mares, crateras e outras formações montanhosas na Lua; as principais estrelas dos aglomerados das Plêiades e das Híades; os quatro maiores satélites de Júpiter e suas órbitas ao redor do planeta; a primeira indicação dos anéis de Saturno e as manchas solares.

As observações da supernova de 1572, por Tycho-Brahe, e da de 1604, por Kepler e Galileu, e, finalmente, o aparecimento de diversos cometas provocaram uma extraordinária revolução nos conhecimentos astronômicos. Ao contrário do ponto de vista aristotélico, não havia mais diferenças básicas entre a matéria celeste e a terrestre, e as leis que governam a física terrestre também deveriam ser aplicadas à astronomia.

Nova astronomia

Sir Isaac NewtonUma época de filosofia natural surge com Newton. Sua obra monumental fixa as bases da mecânica teórica. Da combinação de suas teorias com a lei da gravitação, surge a confirmação das leis de Kepler e, num só golpe, o estabelecimento, em bases científicas, da mecânica terrestre e celeste. No domínio da óptica, Newton inventou o telescópio refletor, discutiu o fenômeno da interferência, desenvolvendo as idéias básicas dos principais ramos da física teórica.

Os trabalhos astronômicos de Newton são apenas comparáveis aos de Gauss, que contribuiu para a astronomia com a teoria da determinação de órbitas, com trabalhos importantes de mecânica celeste, de geodésia avançada e pela criação do método matemático dos mínimos quadrados. Em tempo algum outro matemático abriu novos campos de investigação com tanta perícia na resolução de certos problemas fundamentais como Gauss.

São dessa época também os trabalhos de mecânica celeste desenvolvidos por Euler, Lagrange e Laplace, e os dos grandes observadores, como F. W. Hersche, J. F. Herschel, Bessel, F. G. W. Struve e O. W. Struve. Finalizando este resumo, vale a pena lembrar uma data histórica para a astronomia - a da primeira medida de distância de uma estrela, por Bessel (61 Cygni) e F. G. W Struve (Vega), em 1838. Esta importante realização é basicamente o ponto de partida para o progresso das pesquisas do espaço cósmico.

Por Ronaldo Rogério de Freitas Mourão - Todos os direitos reservados
 
bottom left bottom right

Ir para:

Bookmark and Share
2009 - Ano Internacional da Astronomia
 

Principal

Outros conteúdos

Sobre nós...

Assine nosso Feed RSS
© 2017 Astronomia Amadora.net - Todos os direitos reservados