www.astronomiaamadora.net
Home | História | O Sistema Solar | O Universo | Astronáutica | Biografias | Download | Telescópio Hubble
  Ofertas Shopping UOL Binóculo no Shopping UOL Oculares no Shopping UOL Lunetas no Shopping UOL Telescópios no Shopping UOL  
 

 

ASTERÓIDES

A CAÇADA AOS "ASTERÓIDES RASANTES"

Cúpula do telescópio do programa Spacewatch

Só recentemente, em consequência das descobertas de asteróides passando muito próximos à Terra, dois programas de caça aos asteróides rasantes foram desenvolvidos: o Spacewatch e o NEAT.

O Spacewatch, que utiliza um telescópio refletor de 36" do Observatório Steward, em Kitt Peak, no sul do Arizona, entrou em atividade em 1984. Durante os primeiros cinco anos, não encontrou nenhum asteróide rasante. Com o emprego de um novo CCD, com mais de 4 milhôes de elementos de imagens e uma rotina de procura automática, a sorte dos astrônomos do Arizona mudou totalmente. Desde 1989 a equipe vem descobrindo uma média de, no mínimo, três asteróides rasantes por mês e centenas na faixa principal dos asteróides. Se, por um lado, o Spacewatch varre a superfície do céu muito mais limitada do que as pesquisas fotográficas, conduzidas por E. Helin e E. S. Shoemaker, no Observatório de Monte Palomar, por outro, ele é muito mais sensível aos objetos de brilho mais fraco. De fato, as pesquisas fotográficas são capazes de detectar objetos brilhantes até a magnitude 18, o que significa que estes corpos têm entre 1 e 2 km de diâmetro. Com o moderno sistema de observação, instalado no Spacewatch, pode-se alcançar a magnitude 28, o que transforma a procura dos asteróides rasantes de pequenas dimensôes num trabalho mais fácil. Tal lacance é de máxima importância, pois a frequência dos asteróides pequenos é bem maior.

Em consequência dessa sensibilidade, o Spacewatch descobriu o 1661BA, um dos menores asteróides conhecidos, que passou muito próximo à Terra, a cerca de 165.000 km, em 27 de março de 1995. Em fins de 1994, foi descoberto o asteróide que havia passado mais próximo à Terra, o 1994XMI, cuja distância mínima do nosso planeta foi de 105.000 km, em 9 de dezembro de 1994. Um novo telescópio de 1,8 metro está sendo construído para dar constinuidade e expansão à vigilância do espaço vizinho à Terra.

Near Earth Asteroid Tracking, NASA, EUAO Laboratório de Propulsão a Jato da agência aeroespacial norte-americana - Nasa - informou em 4 de março de 2009 que o asteroide 2009 DD45 cortou uma região do espaço a apenas 78.500 quilômetros da Terra, equivalente a passar de raspão em termos astronômicos. Essa distância representa apenas o dobro da altitude de alguns satélites de telecomunicações e equivale a cerca de um quinto da distância da Terra à Lua.

Em dezembro de 1995 entrou em operação o NEAT - Near Earth Asteroid Tracking (Rastreamento de Asteróides Próximos à Terra), observatório astronômico autônomo projetado para realizar uma completa e automática procura de asteróides no céu e cometas rasantes à Terra. Instalado no GEODSS - Ground-based Electro Optical Deep Space Surveillance - da Força Aérea dos EUA, em Haleakala, Mauí, Hawaí, trata-se de um esforço de cooperação entre a NASA, o Laboratório de Propulsão à Jato (JPL) e a Força Aérea dos EUA. O JPL projetou, fabricou e instalou a câmera do NEAT e o seu sistema de computação no telescópio GEODSS de 1 metro de abertura. A Força Aérea, através de seu contratador, a PRC Inc, opera o NEAT. O programa entrou em operação em dezembro de 1995, observando uma região com centro próximo à Lua nova, durante doze noites, em cada mês. Até maio de 1999, mais de 3.307 asteróides foram detectados, tendo sido descobertos 1.545 novos objetos, dos quais 234 já têm novas designaçôes. Além da descoberta de um novo cometa (1999E1), foram detectados cinco novos asteróides rasantes: 1999EN, 1999E0, 1999FQ3, 1999FR e 1999KE.

Com o objetivo de responder a algumas questôes fundamentais sobre os NEOS - Near-Earth Objects (Objetos Próximos à Terra) - , classificação que reúne numerosos asteróides e cometas existentes nas vizinhanças da órbita terrestre, o primeiro lançamento do programa Discovery, da NASA, foi a missão NEAR - Near Earth Asteroid Rendez (Encontro com Asteróides Próximos à Terra). Várias eram as razôes que justificavam tal pesquisa, dentre elas o fato de os NEOS constituírem a fonte primária dos grandes corpos que colidem com a Terra, influenciando a evolução da atmosfera e da vida em nosso planeta.

Near Earth Asteroid Rendevouz, NASA, EUALançado em 17 de fevereiro de 1999 por um foguete Delta 11, de Cabo Canaveral, Flórida, o NEAR de 805 kg, com uma carga útil de 56 kg, constitui um dos primeiros da série de sondas de pequenas dimensôes projetadas para realizar um vôo de 3 anos com um custo muito reduzido.

O NEAR efetuou fotografias do cometa Hyakutake, em 2 de março de 1999; em 27 de junho de 1997, sobrevoou o asteróide 253 Mathilde, a uma distância de 1.200 km. Após sobrevoar a terra, em 22 de janeiro de 1998, o NEAR sobrevoou o asteróide rasante 433 Eros a uma distãncia de 12 km de sua superfície, em 2 de junho de 1999.

 

Ir para:

Voltar para "O Sistema Solar"
Bookmark and Share
2009 - Ano Internacional da Astronomia
 

Principal

Outros conteúdos

Sobre nós...

Assine nosso Feed RSS
© 2017 Astronomia Amadora.net - Todos os direitos reservados